“Pênalti para o Corinthians”

[Para ler ouvindo: “Pode Chorar”, na versão de Alexandre Pires]

_______________________________________________________________________________

Piadinhas (“se eu tropeçar e cair na calçada, é pênalti pro Corinthians“), teorias da conspiração (“o campeonato brasileiro já está comprado a favor do Corinthians“), raiva (“time que só ganha roubado!”) e puro desconhecimento (“sempre marcam pênalti pro Corinthians, coisa chata“).

Essa é a tônica da torcida brasileira ao comentar o Campeonato Brasileiro desde que o Corinthians (re)assumiu a ponta da tabela. Falsos dados se misturam a informações incompletas. O tradicional desprezo que o brasileiro comum tem pela pesquisa, pelo estudo e pela averiguação de informações se mistura ao fanatismo e à paixão unilateral dos torcedores de futebol.

Resultado: desinformação.

Até o momento — 31 rodadas completas, quase cinco meses de competição –, outros seis times tiveram  mais penalidades marcadas a seu favor (inclusive o campeão de reclamações, Atlético-MG), e outros cinco tiveram o mesmo número de marcações. Confira:

Clubes com mais pênaltis marcados a favor no Brasileirão de 2015 (até a 31ª rodada):

8 pênaltis
Santos;
7 pênaltis
Goiás;
5 pênaltis
Atlético-MG, Avaí, Sport e Vasco;
4 pênaltis
Atlético-PR, Corinthians, Fluminense, Grêmio e Internacional ;
3 pênaltis
Ponte Preta e São Paulo;
2 pênaltis
Chapecoense, Cruzeiro, Figueirense e Flamengo;
1 pênalti
Coritiba e Palmeiras;
Nenhum pênalti
Joinville.

A outra reclamação – que facilmente “viraliza” na internet – é a de que, até o momento, nenhuma penalidade foi marcada para o adversário corinthiano. De fato, o Timão ainda não teve de encarar nenhum pênalti, mas situação idêntica vive o Coritiba Football Club, time que ainda está na zona de rebaixamento:

Clubes com mais pênaltis marcados contra no Brasileirão de 2015 (até a 28ª rodada):

8 pênaltis
Figueirense;
7 pênaltis
Internacional;
6 pênaltis
Flamengo e Vasco;
5 pênaltis
Atlético-MG e Atlético-PR;
4 pênaltis
Fluminense, Palmeiras, Avaí e Santos;
3 pênaltis
Chapecoense, Goiás, Joinville;
2 pênaltis
Grêmio, Ponte Preta e São Paulo;
1 pênalti
Cruzeiro, Coritiba e Sport;
Nenhum pênalti
Corinthians.

Vejamos, pois, como foram as penalidades marcadas a favor do Corinthians:

1) Corinthians 2 x 1 Figueirense, 27/06/2015 – gol que deu a vantagem de 2 x 0

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=djGpcwcoYOs]

2) Corinthians 4 x 3 Sport – gol que selou a vitória corinthiana

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=t_ZdIrne5TI&w=560&h=315]

3) Chapecoense 1 x 3 Corinthians – gol que selou a vitória corinthiana

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=fAKPEFxPfQQ&w=560&h=315]

4) Corinthians 2 x 0 Santis – gol que abriu o placar da vitória corinthiana

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=8Kp7e8zGgaw]

O primeiro pênalti, convenhamos, somente pura birra pode explicar uma opinião de que “não foi”: Thiago Heleno aplica um golpe estilo Dhalsim do Street Fighter. No da Chapecoense, também parece haver pouca discussão, visto que o atleta do time catarinense usa o braço nas costas do jogador corinthiano — e o simples fato de não ter havido nenhuma reclamação por parte da equipe de Chapecó já é um bom indício da clareza da falta. O mesmo pode ser dito sobre a penalidade contra o Santos: o próprio jogador santista admitiu que cometeu a penalidade.

Já no segundo caso, por tratar-se da clássica “bola na mão”, acontece maior polêmica.

No entanto, o atleta dá um carrinho com o braço direito ABERTO E ERGUIDO, em lance na pequena área, com potencial chance de gol. É claro que sempre haverá opiniões divergentes, mas é um caso em que a maioria dos especialistas, comentaristas e árbitros CONCORDA com a marcação.

Ironia das ironias, o Sport disse, quando da partida, que iria à justiça (e, lógico, não foi) contra o juiz que assinalou a penalidade. Além de ser a equipe com mais pênaltis a favor, o clube do Recife teve pelo menos uma penalidade inexistente marcada a seu favor.

Talvez o que mais tenha ajudado na polêmica foi o fato de, dias antes da partida contra o Sport, o Corinthians ter sido beneficiado pela não marcação de um pênalti a favor do São Paulo. De fato, houve a penalidade por parte de Uendel, e a partida, que terminou 1 a 1, poderia acabar com vitória são-paulina, tirando um ponto do Corinthians na tabela.

Mas o São Paulo (que como vimos teve os mesmos pênaltis a favor do Corinthians), também teve pelo menos uma penalidade clara contra seu time — mas esta aconteceu na acachapante derrota por 3×0 para o Goiás no Morumbi — não marcada.

Vejamos agora outros dois lances polêmicos relacionados a pênalti com bola na mão.

O primeiro deles, Atlético-MG 0x2 Grêmio:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=1zKDac37VAQ&w=560&h=315]

O outro, penalidade marcada para o Santos – que é quem mais teve pênaltis bizarros a seu favor (confira o marcado em Lucas Lima, Santos 5×2 Avaí e o anotado por “falta” em Ricardo Oliveira, Santos 3×1 Chapecoense) – contra o Atlético-PR (0x0):

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=U_9Q8IOtP8I&w=560&h=315]

Dos quatro lances supracitados — Corinthians X Sport, SPFC X Corinthians, Atlético-MG X Grêmio e Atlético-PR X Santos –, pode-se dizer que houve um acerto (Corinthians e Sport) e três erros: os não marcados pró-São Paulo e Galo deveriam, sim, ter sido assinalados porque os braços dos respectivos atletas estavam abertos e a bola ia em direção ao gol; já o pênalti santista, não: além de o cruzamento ter sido para trás, o braço do jogador estava encostando no chão.

Analisando os resultados das partidas, somente o São Paulo poderia reclamar um pouco mais, pois com o eventual gol somaria 3 pontos, e não 1. Já Atlético-PR (até pela defesa de seu goleiro na penalidade) e Atlético-Mineiro não teriam perdas significativas com as mudanças nas marcações: o jogo do “Furacão” terminou zerado e o Galo perdeu não por um mas por dois gols de diferença.

Há ainda um quinto lance de bola na mão, envolvendo os mencionados Santos FC e Corinthians, que obviamente não foi nem será relembrado pela turma do “pênalti pro Corinthians“:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=Snq_cPSS29M&w=560&h=315]

O jogo terminou 1×0 para o Santos. O Corinthians somou zero ponto. Caso convertesse a cobrança, somaria 1 — o mesmo pontinho que perderia se porventura assinalassem a penalidade pró-SPFC e o time do Morumbi marcasse seu gol.

Mesmo com as reclamações tricolores, quem mais está “acusando” o Corinthians é o Clube Atlético Mineiro, time que não vence o Brasileiro desde sua primeira edição, 44 anos atrás, e que teve sua última grande chance de ser campeão em 1999, quando foi vice do… Corinthians.

Os mineiros, além do pênalti não marcado contra o Grêmio, falam bastante do segundo gol da Chapecoense (vitória do time catarinense por 2 a 1), quando a bola resvalou no braço de Apodí, autor de belíssimo gol (nesta soma, levando-se em conta os resultados das partidas — derrotas por 2 a 0 e 2 a 1 — pode-se dizer que o “Galo” somaria apenas um ponto a mais, em possível empate em SC).

Um dos diretores do clube falou em “só um time sendo favorecido“, em clara referência ao Corinthians.

Não se sabe se em virtude das reclamações, como que a “acalmar os ânimos” dos mineiros, o Galo foi favorecido contra o Palmeiras na vigésima rodada, com a marcação deste pênalti:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=7LN7n3DmGYE&w=560&h=315]

Foi pênalti? Houve contato? O contato foi intencional?… Não, não.

Digam o que disserem, se tal lance fosse assinalado pró-Corinthians todos nós sabemos qual seria a reação popular.

Aliás, nem precisamos imaginar muito.

Em 2010, este lance resultou em pênalti pro Corinthians:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=VUcW-WYqt1Q&w=420&h=315]

Na época aconteceu o seguinte:

– Fabrício, revoltado, saiu de campo durante a partida;
– O presidente Zezé Perrela — aquele, do helicóptero — acusou diretamente Andrés Sanchez, presidente do Corinthians;
– O técnico Cuca socou a mesa durante coletiva, falando: “a gente trabalha e vem os caras e ferram com a gente“.

Compare as duas penalidades:

ronaldogil

O lance do Atlético-MG não gerou a mesma revolta por parte dos palmeirenses – que também foram beneficiados claramente contra o Flamengo – e tampouco gerou “dúvidas” na imprensa e na torcida.

Reflexo do tamanho do Atlético.

E do Corinthians.

Marcel Pilatti

_______________________________________________________________________

Atualizações de 30 de agosto de 2015:

PS¹: Em matéria publicada no GloboEsporte.com ao final de 2012, lia-se: Assim como em 2011, Cruzeiro foi o time com mais pênaltis a seu favor.

PS²: Após a 31ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2013, o jornalista Mauro Cézar Pereira fez um somatório das penalidades assinaladas naquele campeonato e desde 2011: Cruzeiro na frente na somatória dos três anos. O “campeão” de pênaltis naquele ano seria o Criciúma, com 9, seguido pelo SPFC, com 8, e o Cruzeiro, com 7. O Corinthians terminou com 6.

PS³: No “Raio-X” das penalidades do Brasileiro de 2014, o Cruzeiro não foi o primeiro colocado em penalidades a favor (empatou com Flamengo e Botafogo, com seis, e ficou atrás de São Paulo e Fluminense, com oito cada), mas novamente “superou” o Corinthians, que teve 5 – igual número de Galo, Palmeiras e Vitória.

Comentário: Um cálculo simples, portanto, mostra que, além do Cruzeiro (33) e o Fluminense (31) têm MAIS PÊNALTIS A FAVOR do que o Corinthians e o São Paulo (ambos com 29) desde 2011. O Atlético-MG, com 28, teve apenas um a menos e é o quinto no geral.

Então é “Pênalti pro Cruzeiro”?

Não. Não dá audiência.