• Obrigado, Pacaembu!

    Amanhã é dia de despedida.

    Dia do Corinthians se despedir daquela que foi a sua casa por 74 anos.

    Ah, Pacaembu… lar do Corinthians. Estádio que acolheu o povo e seu time. E como o povo se sentiu em casa!

    No Estádio Municipal, o Corinthians jogou a maior parte de seus jogos. Vibrou, venceu, sofreu e chorou.

    Não tenho dúvidas em afirmar que a noite mais mágica do Coringão no estádio foi em 4 de julho de 2012. Noite em que, time e estádio, mataram um fantasma e se tornaram Reis da América.

    E foi no Pacaembu que, particularmente, vivi momentos inesquecíveis.

    Foi lá que, em 1991, meus pais me levaram para me apresentar ao Corinthians. E logo de cara, uma vitória sobre o Botafogo do Rio, com direito a gol de Neto. Não tem um jogo que eu vá ver, que eu não me lembro daquele dia. Eu tinha 6 anos. Mas ainda vivo aquele jogo toda vez que entro no Pacaembu.

    Foi no Pacaembu que meu tio Norival certa vez quis ir ver o jogo contra a Lusa, seu time de coração, e levou a família inteira no seu caminhãozinho… meu cunhado Gilson, tio Dioniro, Fábio, meu pai e eu fomos presenciar mais uma vitória do Timão frente ao time da padaria.

    Foi no Pacaembu que, no domingo de Páscoa de 1994, vi o Viola marcar o gol do Timão no empate frente ao Amérca de Rio Preto, na companhia de meu pai, tio Gildo e minhas primas Bruna e Flávia.

    Foi lá que vi Tevez, numa derrota de sábado a tarde, com minha irmã Paulinha e minha sobrinha Suellen Brito.

    Foi lá, e indo pra lá, que meu pai me contava histórias fantásticas sobre o Corinthians. Era o meu grande companheiro de Pacaembu. Vira e mexe, lá íamos nós… Até a Barra Funda, descíamos do trem e íamos a pé, conversando, lembrando histórias de outros jogos… celebrando nosso corinthianismo.

    Posteriormente ganhamos a companhia do meu sobrinho Lucas, que se tornou outro fanático corinthiano.

    E foi no dia 21/11/2009, exatamente 1 ano antes de seu sepultamento, que fiz minha despedida de Pacaembu com meu pai. Hoje, olhando pra trás, realmente o clima era de tristeza… chuva e derrota… talvez os deuses do futebol já sabiam o que estaria por vir…

    Sinceramente, a vida nos prega algumas surpresas algumas vezes. Após o falecimento do meu pai, pensei que nunca mais ia conseguir ir no Pacaembu. Que não teria mais graça… afinal, tinha perdido meu parceiro de jogo.

    Ledo engano.

    7 meses depois do fatídico dia da minha vida, voltei ao Pacaembu, nas companhias dos amigos Silas, Jonatas e Fabio. Vitória de 2 x 1 sobre o Vasco e arrancada para o Penta Brasileiro.

    E foi logo depois disso que encontrei um novo parceiro de Pacaembu, meu primo Fabio Garcia

    Juntos, acompanhamos o Timão rumo ao Penta Brasileiro e ao inédito título da Libertadores, as vezes na companhia de Lucas, e dos meus primos Marcelo e Samanta.

    Ainda tive o prazer de apresentar o estádio à minha sobrinha Camila, na estreia do famigerado Pato com a camisa do Timão.

    Tive ainda a honra de levar um amigo torcedor do Sport Recife, Luiz Albuquerque, a se tornar mais um louco do bando… rsrsrs

    Todos momentos sensacionais.

    E domingo será o último deles. Pela última vez, descerei na Barra Funda e seguirei rumo ao bom e velho Paca. Estarei na companhia da minha namorada Jaque, que irá finalmente conhecer a nossa casa (quase que não dá tempo, hein Jaquinha).

    Lembranças virão… saudades… lágrimas poderão cair. Mas tenho que ir lá. Me despedir e agradecer. Em nome do meu pai e de todos os corinthianos que se sentiam em casa quando se sentavam nas arquibancadas geladas e duras do velho estádio.

    E que venha a Era da Arena Corinthians! Uma nova fase da vida do clube, que tem tudo para se tornar mais vitorioso e poderoso com a nova Arena.

    Obrigado Pacaembu! Muito obrigado!

    E vai, Corinthians!

    #DespedidaPacaembu
    #ObrigadoPacaembu
    #PacaembuEterno
    #SaudosaMaloca
    #ArenaCorinthiansVemAi

    45

    44

    43

    39

    34

    33

    29

    24

    16

    15

    12

    09

    08

    06

    49

    38

    41

    50

    01

    02

    36

    31

    30

    25

    21

    13

    14

    17

    18

    20

    10

    05

    04

    47

    Pacaembu_06


  • Feliz 2014

    2013 chega ao fim e, com ele, a “Era Tite”.

    O ano começou da melhor maneira possível para o Timão. Atual Campeão do Mundo e da América, as chances do bicampeonato continental eram claras e possíveis.

    Mas, desde o começo do ano, todos nós percebemos que algo não estava certo. O time já não tinha a “pegada”do ano anterior.

    “Ah, mas o time não está jogando tanto assim pq é o Campeonato Paulista”, diziam…

    Mas o tempo passou e não foi isso o que se viu…

    Ganhamos o Paulista, jogando o básico. E na Libertadores fomos removidos pelo Sr. Amarilla.

    O último grande momento da equipe foi a conquista da inédita Recopa Sul-Americana, contra o São Paulo.

    E depois foi só decepção.

    Eliminado da Copa do Brasil pelo Grêmio (após um pequeno vexame contra o Luverdense na fase anterior), o Timão bateu o recorde de empates no Brasileirão e terminou o campeonato na 10ª colocação.

    Por tudo isso, saiu Tite e veio Mano.

    Mano que teve uma boa passagem pelo Corinthians.

    Que terá a função de fazer o Corinthians voltar a jogar bola e a fazer gols.

    Não é difícil. Com o time que temos, temos obrigação de brigarmos pelas competições que disputarmos.

    Nos resta dar todo o apoio e torcer!

    Que o ano que vem seja repleto de vitórias e alegrias para a Fiel!

    Um feliz Natal e um ótimo 2014 a todos!

    Vai, Corinthians!

    11826636


  • Obrigado, Tite

    Tite Eterno
    Tite Eterno

    Quando o Corinthians anunciou a contratação de Tite, em outubro de 2010, eu me revoltei: “Pára! A diretoria tá de brincadeira! Tite?!”.

    Três anos depois, o “Eterno Tite” sai com o status de maior técnico da história do Corinthians.

    E o começo não foi fácil pro cara: Perdeu o título do Brasileiro de 2010 e foi eliminado pelo Tolima na Pré-Libertadores do ano seguinte.

    100% dos torcedores queriam a saída dele.
    100% dos torcedores se revoltaram quando Andrés Sanches bateu no peito e bancou a permanência do treinador.

    “Não é possível! Esse cara é ruim demais!”, eu bradava, pensando que eu conhecia um pouco de futebol.

    Mas aí a história tomou novos rumos.

    Com uma campanha excelente, com direito a um começo arrasador, o Corinthians faturou o Brasileirão de 2011 de forma incontestável.

    E Tite foi elevado a Herói.

    Veio 2012… Ah, 2012… o mais mágico dos anos corinthianos  (juntamente com 77, claro!)…

    Tite conseguiu montar um time extremamente competitivo, sólido na defesa e com um forte esquema de marcação.

    Com o time fechado com o treinador, todo mundo sabe o que aconteceu: Corinthians, Campeão da Libertadores.

    E Tite foi elevado a Ídolo Eterno.

    Depois da cereja do bolo, o Bimundial, no Japão, Tite foi elevado ao cargo máximo: virou deus (calma, com ‘d’ minúsculo).

    Em 2013, mais 2 títulos: Paulista e Recopa, se tornando o técnico mais vencedor da história alvinegra, com 5 conquistas.

    E aí começou a queda.

    O time não mais jogava bem. Só empatava, ganhava por 1 x 0, empatava de novo. E de novo. E de novo. Perdia por 1 x 0. Empatava de novo. E de novo…

    Eu, sinceramente, não sei o que aconteceu.

    Não sei se o Tite perdeu o controle da equipe, se todos ali se acomodaram… não sei.

    Só sei que eu queria a saída de Tite.

    Sim, eu queria. É doído dizer isso, eu sei. Mas uma mudança tinha que ser feita.

    Me falaram que eu não gosto dele. Poxa, pelo contrário!

    Serei ETERNAMENTE grato ao Tite. Ele será meu herói eterno!

    Mas eu já não queria ele mais como técnico do Corinthians. Pelo menos não agora.

    Por isso que eu não me revoltei com a decisão da diretoria em não renovar o contrato com ele.

    Dá um aperto no coração? Ô se dá…
    Fico pensando: “Será que estou sendo injusto com o cara? Será que ele ainda ia dar uma outra volta por cima?”

    Nunca saberemos disso. Quero me convencer de que realmente o ciclo se encerrou. De forma amigável e bonita.

    Da minha parte, peço-lhe desculpas, Tite, pelo pré-julgamento.

    Você vai voltar. Todos nós sabemos disso.

    Até lá, boa sorte!

    Parabéns por todas as suas conquistas e pela forma como você sempre tratou a todos, com respeito e educação.

    Parabéns pelo exemplo de integridade, algo raro num mundo tão sujo e podre como o do futebol.

    E obrigado. Obrigado. MUITO OBRIGADO, Mestre Tite!


  • Corinthians, 103 anos

    103 anos de Corinthians.

    Sinônimo de 103 anos de paixão.

    Não vou falar de história nesse post. Vou falar do sentimento de ser corinthiano.

    Sempre que falamos de Corinthians, as seguintes questões entram em cena:

    O que é o Corinthians?
    Por que esse time é tão diferente, fazendo com que seus torcedores sejam verdadeiros malucos apaixonados?
    Como explicar esse fenômeno?

    Temo que sejam perguntas sem respostas… Sim, todos nós sabemos o que sentimos pelo Timão, mas não sabemos explicar.

    Eu pelo menos não sei.

    Só sei que minha paixão foi herdada de meu finado pai… Cansei de escrever aqui no blog e no site sobre o meu pai e seu amor incondicional pelo Corinthians.

    Ele era maluco.

    Tão maluco a ponto de, no dia de seu transplante de rim, no longínquo 12 de agosto de 1987, após a cirurgia e ainda correndo risco de morte, ele acorda e faz a primeira pergunta pós-operação: “Quanto foi o Corinthians?”

    Tipo, o cara tava ali, podendo morrer, com uma dor infernal, o irmão (doador do rim) ao lado, também com dores absurdas, e o cara quer saber do Corinthians. Bom, o Corinthians perdeu, 2 x 1 para o São Bento, tornando real a profecia de sua amiga de hospital, sãopaulina, um dia antes: “Seu Newton, amanhã eu quero que o Corinthians se estrumbique. E que o senhor faça um transplante maravilhoso”. E assim foi.

    O rim do meu tio fez meu pai viver mais 23 anos. E ele viveu intensamente esses 23 anos, sendo o meu grande companheiro de Corinthians. Era o meu melhor amigo.

    Uma semana antes de falecer, em 2010, já bem debilitado pelo câncer no fígado, também quis saber quanto foi o jogo do Corinthians: dessa vez, o time ganhou. 1 x 0 contra o Cruzeiro, naquele polêmico pênalti de Gil em cima do Ronaldo.

    Na terça seguinte, já no hospital, ele virou pra mim e falou: “Fião, meu amigo, meu companheiro de Pacaembu. Vamos ver muitos jogos do Corinthians ainda”…

    E no sábado, ele foi morar junto de Deus. Mas ele não me enganou. Ele não mentiu. Ele ainda é meu companheiro de Corinthians. Sempre será. Sempre sentirei sua presença ao meu lado quando eu estiver vendo o Timão.

    Meu pai e eu
    Meu pai e eu: eternos companheiros de Corinthians

    Esse é o verdadeiro corinthianismo, passado de pai para filho. Com certeza, há milhares de casos parecidos.

    Então é isso. As perguntas do início do post continuam sem respostas É uma paixão que não se explica.

    Só nos restam três coisas a dizer:

    Obrigado, Corinthians!

    Parabéns, Corinthians!

    VAI, CORINTHIANS!


  • Campanha Fiel AACD

    Olá Fiel.

    No começo desse mês, o Corinthians lançou a campanha “Fiel AACD, uma torcida de garra”, com o intuito de arrecadar doações financeiras para a AACD, instituição que ampara e cuida de crianças deficientes.

    fiel_aacd

    Mas essa campanha não tem nenhum sentido sem a sua participação. O Corinthians precisa da sua ajuda. As crianças precisam da sua doação para continuarem a receber todo o carinho e cuidado que elas precisam.

    Para doar, acesse o site http://www.aacd.org.br/fielaacd/ ou ligue para 11 3003-1910.

    Faça a sua parte, torcedor.

    Participe. Doe. Divulgue.

    Uma pequena ação de cada um se torna gigantesca para quem precisa.


  • II Encontro Nacional da RPC

    O evento será realizado nos dias 13 e 14 de julho de 2013, exclusivo para cidadãos da RPC.

    Será um fim de semana de atividades num sítio próximo a São Paulo destinado exclusivamente ao evento, com piscinas, campos de futebol, esportes de aventura (tirolesa, parede de escalada, etc.), campeonatos esportivos e recreativos, além de outras atividades.

    Teremos também passeios para visitar locais importantes para os corinthianos, como as dependências do Parque São Jorge, as obras do novo estádio (A CONFIRMAR) finalizando com a partida entre Corinthians e Atlético Mineiro no Estádio do Pacaembu.

    Clique no link abaixo para saber mais e confirmar a sua presença!

    http://republica.corinthians.com.br/encontronacional

    arte_encontro


  • As “Casas” do Timão

    2014 será um ano especial para a história do Corinthians. Finalmente o Corinthians terá um estádio digno de sua grandeza, com direito a sediar a abertuda da Copa do Mundo.

    Mas no decorrer de sua história, o Timão teve várias “casas”.

    O primeiro campo a ser palco dos jogos do Timão foi o Campo do Lenheiro, que ficaca na Rua dos Imigrantes (atual José Paulino). Era conhecido assim porque seu dono era um vendedor de lenha. O terreno foi alugado nos primeiros anos de vida do Corinthians, que jogou lá entre 1910 e 1912.

    O "Campo do Lenheiro"
    O “Campo do Lenheiro”

     

    O terreno para a segunda “casa” corinthiana foi doado pela prefeitura. Diretoria, jogadores e torcedores, juntos, construíram, em forma de multirão, aquele que seria o primeiro estádio do Timão: a Ponte Grande. O estádio, que ficava ao lado de outro campo famoso na época, o Floresta, foi a casa do Timão entre 1918 e 1927. Atualmente, o local abriga a Ponte das Bandeiras.

    O Estádio da Ponte Grande
    O Estádio da Ponte Grande

     

    Em 1927, outra grande aquisição: o terreno do Parque São Jorge e a Fazendinha, que até hoje é a sede do clube. Até 1940, foi a casa absoluta do Corinthians.

    A Fazendinha
    A Fazendinha

     

    Mas o estádio não acompahou o aumento da torcida. Com a construção do Pacaembu, no início da década de 1940, o Corinthians dividiu os seus mandos entre esses dois estádios, com o Pacaembu, aos poucos, se tornando o palco principal dos jogos do Coringão.

    A última partida oficial do Corinthians realizada no Parque São Jorge foi contra Mogi Mirim, no Paulistão de 1999. O time de Mogi venceu por 4 x 1. Considerando amistosos, o último jogo do Timão na Fazendinha foi no dia 03 de agosto de 2002, na vitória por 1 x 0 contra o Brasiliense.

    Desde a sua fundação, o Pacaembu sempre foi um palco onde a torcida se sentiu bem. Aos poucos, a Fiel o adotou como lar. Apesar de pertencer a Prefeitura de São Paulo, ninguém discute que o Pacaembu é a casa do Corinthians e da Fiel.

    O bom e velho Pacaembu
    O bom e velho Pacaembu

     

    Mas uma nova era vem aí. A era da Arena Corinthians.

    O Pacaembu vai deixar saudade? Muita.

    Mas a reconstrução do Corinthians merecia culminar com um novo estádio.

    Moderno.

    Para a Fiel chamar de seu.

    A Arena Corinthians
    A Arena Corinthians

     

    O Corinthians em suas casas
    Estádio Jogos Vitórias Empates Derrotas Gols Pró Gols Contra
    Campo do Lenheiro* 9 3 0 0 9 0
    Ponte Grande 102 80 11 11 386 115
    Parque São Jorge** 469 347 60 62 1322 480
    Pacaembu** 1665 955 388 322 3276 1911

     

    * 6 resultados não encontrados.
    ** Até 08 de junho de 2013.

    Para saber mais sobre os jogos do Coringão nesses estádios, faça o download da planilha com todos os jogos do Timão!

    Vai, Corinthians!


  • O ano está só começando…

    Ainda não parei para escrever sobre a eliminação do Corinthians na Libertadores e sobre o novo título paulista.

    Sobre a Libertadores, não tenho muito o que comentar. Removeram o Corinthians. Não foi erro. Foi roubo. E ponto.

    Sinceramente, é uma Libertadores para se esquecer. Afinal, já começou errada, com a morte do menino Kevin Espada. Depois, um Pacaembu vazio e silencioso. E por fim, a palhaçada da arbitragem no jogo contra o Boca.

    O acontecimento mais bonito e emocionante para o Timão nessa Libertadores aconteceu quando o time já não estava mais nela: o que a torcida fez no Pacaembu após o apito final é coisa de ser lembrada eternamente. Eu estava lá no Pacaembu e posso afirmar que foi uma das maiores emoções que vivi num estádio. Foi uma demonstração de gratidão. De agradecimento por tudo o que o time ganhou nos últimos tempos.

    Pacaembu vazio: algo não está certo
    Pacaembu vazio: algo não está certo

     

    E então nos sobrou o “Paulistinha”, como é pejorativamente chamado hoje o Campeonato mais tradicional do futebol brasileiro. Um campeonato que está arcaico, cansativo e chato. Que não tem mais o respeito dos torcedores. Mas o corinthiano não vê campeonato. Ele não torce para a Libertadores, para o Brasileiro. Ele torce para o Corinthians. Se bem que tem muito corinthiano novo por aí que só quer saber de Libertadores, etc, etc… parem com isso. Torçam para ao Corinthians.

    Bom, pensando por outro lado, o próprio time do Corinthians não estava nem aí pro Paulista. Basta ver os jogos da primeira fase para perceber a “vontade” com que os jogadores atuavam nas partidas. Olhando agora, com o título ganho, refletimos: “E não é que o time estava certo? Jogou quando era pra valer. De nada adiantaria se esforçar, jogar a vida, se o regulamento não traria tantos benefícios para os primeiros colocados.”

    Na final, contra o Santos, era notável e superioridade do Timão. Tinha total condições de ter vencido facilmente as duas partidas. Só não o fez por falta de pontaria e objetividade.

    Todo Poderoso Timão – Campeonato Paulista de 2013

    Corinthians, Campeão Paulista de 2013
    Corinthians, Campeão Paulista de 2013

     

    Conclusão final do Paulista: A fórmula do precisa mudar. Urgente. Tenho a minha fórmula de disputa na cabeça: 20 times, separados em 4 grupos de 5. Todos contra todos, ida e volta. O primeiro de cada grupo se classifica para a semifinal, e depois final. Ida e volta ambas as fases. 12 jogos no total , muito menos cansativo e muito mais interessante e empolgante.

    Porém, eu duvido que mude alguma coisa. A politicagem e o jogo de interesse entre as partes envolvidas são muito grandes para olharem o que é bom para o torcedor.

    Mas voltando para o Corinthians: Agora é ir com força total para o Brasileirão e Copa do Brasil. Sem nenhum campeonato paralelo, o Timão tem grande potencial para chegar ao Hexa Brasileiro. E tem elenco para ganhar a Copa do Brasil também. Isso sem falar na Recopa… rsrs

    Enfim, o ano está só começando. Muita emoção vem por aí!

    Vai, Corinthians!


  • É hora de ser Corinthians!

    Ponte Preta x Corinthians, quartas de final do Paulista, em Campinas.

    Corinthians x Boca Juniors, oitavas de final da Libertadores.

    Três belos jogos que vão servir para testar a força do Corinthians nessa temporada.

    No Paulistão, o Corinthians fez uma campanha monótoma, com diversos empates sem graça e sem raça. Falando o português claro: empurrou com a barriga, deixando o torcedor bronqueado em diversas oportunidades com a falta de vontade em campo.

    Na Libertadores a coisa foi diferente, com a campanha muito parecida com a do ano passado, claro, trocando o empate pela derrota, no México.

    E agora chegou a hora do “vâmu ve”. A Ponte Preta fez uma bela campanha e tem um time muito bem montado. Jogar em Campinas não será fácil. O Corinthians vai ter que mostrar porque é o Campeão do Mundo e ir pra cima, jogar o que sabe (e sabe muito!) e voltar pra casa com a classificação.

    E contra o Boca… ah, o Boca… boas lembranças o time argentino traz ao torcedor corinthiano. Falam por aí que o time argentino tá ruim, não tá com nada… Meu amigo, calma. O Corinthians vai ter que jogar muita bola. Se jogar o que sabe, classifica, mas serão dois jogos difíceis. Afinal, Boca é Boca…

    Enfim, agora é a hora da verdade. É hora de ser Corinthians, o Campeão do Mundo!

    Vai Corinthians!

    vai-corinthians-6


  • O caldeirão da Fiel

    Na última quarta-feira, 13 de março, a Fiel viveu mais uma noite inesquecível no Pacaembu.

    Foi o primeiro jogo do Corinthians em casa, pela Libertadores, com torcida, após o título continental.

    E foi só festa: estádio cheio, mosaico, time jogando bem e vitória fácil por 3 x 0 sobre o Tijuana do México, deixando o time mais confortável na tabela de classificação.

    Time e torcida: união que faz os adversários tremerem

    O “fator Pacaembu” foi fundamental para isso.

    O Corinthians já jogou 35 vezes no estádio pela competição. São 29 vitórias, 3 empates e 3 derrotas, o que dá um fantástico aproveitamento de 85,7%.

    Para se ter uma ideia, o aproveitamento do Corinthians jogando no Morumbi, também pela Libertadores, é de apenas 53,8%.

    Isso mostra a força do Timão jogando na sua “casa”.

    Tudo começou na Libertadores de 1977, onde o time fez apenas um jogo do estádio, vencendo o Deportivo Cuenca, do Equador, por 4 x 0.

    Na edição de 1991, apenas um jogo novamente e a primeira derrota: 2 x 0 para o Flamengo.

    Em 1996, o Corinthians jogou todos os jogos em casa no Pacaembu, caindo para o Grêmio nas quartas de final, quando sofreu a sua segunda derrota: 3 x 0.

    Em 1999, 2000 e 2003, o Corinthians jogou no Pacaembu e Morumbi, com o estádio do São Paulo sendo usado, na maioria das vezes, nas partidas mais importantes e decisivas. As eliminações nessas três edições aconteceram com jogos no Morumbi. Em 2003, inclusive, o Corinthians jogou pela última vez no Morumbi, na derrota para o River Plate, quando caiu nas oitavas de final.

    Depois da fatídica eliminação, novamente para o River Plate, em 2006, quando o Pacaembu literalmente virou um caldeirão prestes a explodir, o Timão não mais perdeu em casa pela Libertadores.

    2006, contra o River Plate: noite de terror no Pacaembu
    2006, contra o River Plate: noite de terror no Pacaembu

    De lá pra cá, o Pacaembu virou um verdadeiro caldeirão para o Timão, com 14 jogos, 12 vitórias e 2 empates.

    Em 2012, foi o palco do sonhado título inédito conquistado pelo Coringão.

    04/07/2012, Pacaembu: a libertação de um povo
    Pacaembu, em 04.07.12: a libertação de um povo

    Abaixo, todos os jogos do Corinthians no Pacaembu, pela Libertadores:

    04/05/1977 Corinthians 4 X 0 Deportivo Cuenca (Equador)

    20/03/1991 Corinthians 0 X 2 Flamengo (RJ)

    13/03/1996 Corinthians 3 X 0 Botafogo (RJ)
    29/03/1996 Corinthians 3 X 1 Universidad Católica (Chile)
    16/04/1996 Corinthians 3 X 1 Universidad De Chile (Chile)
    08/05/1996 Corinthians 2 X 0 Espoli (Equador)
    15/05/1996 Corinthians 0 X 3 Grêmio (RS)

    10/03/1999 Corinthians 8 X 2 Cerro Porteño (Paraguai)
    09/04/1999 Corinthians 4 X 0 Olimpia (Paraguai)
    21/04/1999 Corinthians 5 X 2 Jorge Wilstermann (Bolívia)

    03/03/2000 Corinthians 6 X 0 Ldu (Equador)
    05/04/2000 Corinthians 2 X 1 América (México)
    19/04/2000 Corinthians 5 X 4 Olimpia (Paraguai)
    09/05/2000 Corinthians 3 X 2 Rosario Central (Argentina)

    05/02/2003 Corinthians 1 X 0 Cruz Azul (México)
    11/03/2003 Corinthians 4 X 1 The Strongest (Bolívia)
    02/04/2003 Corinthians 6 X 1 Fénix (Uruguai)

    22/02/2006 Corinthians 2 X 2 Universidad Católica (Chile)
    22/03/2006 Corinthians 1 X 0 Tigres (México)
    19/04/2006 Corinthians 3 X 0 Deportivo Cali (Colômbia)
    04/05/2006 Corinthians 1 X 3 River Plate (Argentina)

    24/02/2010 Corinthians 2 X 1 Racing (Uruguai)
    01/04/2010 Corinthians 2 X 1 Cerro Porteño (Paraguai)
    22/04/2010 Corinthians 1 X 0 Independiente Medellín (Colômbia)
    05/05/2010 Corinthians 2 X 1 Flamengo (RJ)

    26/01/2011 Corinthians 0 X 0 Deportes Tolima (Colômbia)

    07/03/2012 Corinthians 2 X 0 Nacional (Paraguai)
    21/03/2012 Corinthians 1 X 0 Cruz Azul (México)
    18/04/2012 Corinthians 6 X 0 Deportivo Táchira (Venezuela)
    09/05/2012 Corinthians 3 X 0 Emelec (Equador)
    23/05/2012 Corinthians 1 X 0 Vasco Da Gama (RJ)
    20/06/2012 Corinthians 1 X 1 Santos (SP)
    04/07/2012 Corinthians 2 X 0 Boca Juniors (Argentina)

    27/02/2013 Corinthians 2 X 0 Millonarios (Colômbia)
    13/03/2013 Corinthians 3 X 0 Tijuana (México)

    Contra o San José, no dia 10 de abril, o Corinthians alcançará sua 30ª vitória jogando no Estádio Municipal.

    O eterno Caldeirão da Fiel!

    #VaiCorinthians