Classificação ajustada

Corinthians, 49 pontos. Atlético-MG, 42.

49 – 42 = 7.

7 pontos de diferença.

Após a 22ª rodada, cálculos mirabolantes por parte dos torcedores decretam: é somente por causa da arbitragem que o Corinthians é líder.

Erros têm sido evocados, mas somente dois tipos: os contra o Atlético-MG, e os a favor do Corinthians.

Neste vídeo, por exemplo, um determinado jornalista decreta: “O Corinthians ganhou 6 pontos indevidos, e o Atlético-MG perdeu 5” — isso, antes da 22ª rodada…

Notemos, pois: NÃO HOUVE E NÃO HÁ erros de arbitragem que prejudiquem o Corinthians – e, em 2015, NÃO HOUVE E NÃO HÁ erros de arbitragem que favoreçam o Atlético-MG.

Vamos à lista dos lances polêmicos e a VISÃO DE TORCEDORES/IMPRENSA contrários ao Corinthians:

– pênalti pró-São Paulo não marcado. O jogo terminou 1 a 1. O Corinthians somou 1 ponto. O São Paulo venceria 2 a 1. Perderia 1 ponto.

– pênalti inexistente assinalado pró-Corinthians contra o Sport. O jogo terminou 4 a 3. O Corinthians somou 3 pontos. Empataria 3 a 3. Perderia 2 pontos.

– gol do Avaí mal anulado. O jogo terminou 2 a 1. O Corinthians somou 3 pontos. Somaria 1. Mas aqui os torcedores alegam que o Avaí VENCERIA. No momento do gol estava 1 a 1. O Avaí somaria 3 pontos, O Corinthians Perderia 3 pontos.

– gol do Fluminense mal anulado. O jogo terminou 2 a 0. O Corinthians somou 3 pontos. Somaria os mesmos três. Mas aqui os torcedores alegam que o Fluminense EMPATARIA. No momento do gol estava 1 a 0. O Fluminense somaria 1 ponto. O Corinthians Perderia 2 pontos.

No total, portanto, o Corinthians PERDERIA 8 PONTOS.

49 – 8 = 41.

Atlético-MG, 42 pontos. Corinthians 41.

Erros contra o Atlético-MG e a VISÃO DE TORCEDORES/IMPRENSA contrários ao Corinthians:

– pênalti não marcado pró-Atlético-MG no jogo contra o Grêmio. O jogo terminou 2 a 0 para o Grêmio. O Atlético somou 0 ponto. Caso fizesse o gol, somaria ainda zero. Mas no momento do pênalti estava 0 a 0. Torcedores e jornalistas decretam: o Atlético-MG venceria a partida. Somaria 3 pontos.

– gol não anulado da Chapecoense. O time catarinense venceu por 2 a 1. Sem o gol, o Atlético conquistaria o empate. Somaria 1 ponto.

– pênalti inexistente assinalado pró Atlético-PR: o jogo terminou 1 a 0 para o time paranaense. Terminaria 0 a 0. O Atlético-MG somaria 1 ponto.

No total, portanto, o Atlético-MG SOMARIA 5 PONTOS.

42 + 5 = 47.

Atlético-MG 47 pontos, Corinthians 41.

Assim, o cálculo se dá da seguinte maneira: “O Corinthians é líder do Brasileiro com 7 pontos de vantagem?! Roubo, complô!! O normal seria o Galo liderar com 6 de vantagem!!”

Esse é o FANTÁSTICO MUNDO DE BOBBY em que os anti-corinthianos vivem e se sentem felizes e imparciais por NÃO SEREM INFLUENCIADOS PELA GLOBO e por conseguirem PENSAR COM A PRÓPRIA CABEÇA.

"O Corinthians só rouba e os outros sofrem"
“O Corinthians só rouba e os outros sofrem”

A Folha de São Paulo, apenas para citar um veículo com notoriedade e credibilidade no país (porque se fôssemos citar blogs de Cosme Rímoli, Milton Neves etc. passaríamos o dia), faz matéria compilando todos os lances que mencionamos acima e, mesmo não apontando a soma que aqui fizemos, induz o leitor a tal raciocínio.

Mas toda história tem — ou deveria ter — dois lados.

E qual seria o outro lado?

Como descrevemos no post “Pênalti para o Corinthians”, o lance que originou o pênalti que levaria ao quarto gol e consequente vitória corinthiana de fato existiu.

Sérgio Corrêa, presidente de arbitragem da CBF, e os ex-arbitros Renato Marsiglia e Sálvio Espínola todos concordam que, sim, HOUVE o pênalti.

Portanto, o Corinthians, que na conta do senso comum teria 41, novamente ganha os dois pontos da vitória contra o Sport e vai a 43, se aproximando do “real líder” Atlético.

Quanto ao lance do São Paulo, realmente é inquestionável. O Corinthians não consegue o empate e permanece com aquele ponto a menos.

Sobre Avaí e ao Fluminense: de fato foram dois gols legais, sendo que ambos não devem ser considerados erros tão grosseiros quanto aquele contra o São Paulo.

Por que? O do Avaí os atletas estavam na mesma linha, e o do Fluminense é muito bem dissecado nesta postagem do ótimo site “Pergunte ao árbitro” (sim, é preciso ler se você NÃO FOR apenas alguém que “odeia o Corinthians mais do que torce por seu time”).

Mas independente de sua explicação, de fato os dois erros aconteceram.

Agora, a pergunta: por que, necessariamente, o Corinthians perderia para o Avaí? O segundo gol, que selou a vitória, veio depois. Seria IMPOSSÍVEL que, tendo tomado o segundo gol, o Corinthians empatasse? Por que?

Consideremos, pois, que o Corinthians empatasse a partida. Somaria 1 ponto, indo a 44, e diminuindo  agora em três pontos a liderança do “real líder” Atlético.

E contra o Fluminense?! Por que, necessariamente, o Corinthians não venceria o Fluminense? A equipe paulista DOMINOU a partida, especialmente no primeiro tempo, e seguiu pressionando o adversário, até marcar o segundo gol, em falta clamorosa — o jogador tricolor simplesmente segura por um metro o corinthiano.

Podemos somar os três pontos corinthianos? Vocês deixam?…

Assim, o Corinthians iria a 46, diminuindo a vantagem do Galo em 1 ponto — mas, tudo bem, vamos deixar entre parênteses os 3 pontos a menos, para que não se esqueçam (43).

Mas e o Galo?

Continua ali, com 47 pontos, só tendo sido prejudicado, jamais beneficiado!

De fato, o gol da Chapecoense, que tirou um ponto do Atlético, é inquestionável. O Galo, portanto, se mantem lá em cima.

Mas, assim como no caso do Fluminense, por que, necessariamente, o Atlético VENCERIA o Grêmio? Em que momento da partida o Atlético fez por merecer essa possível vitória? Se o pênalti não foi assinalado no começo da partida (aos 17 min.), por que a equipe de BH NÃO CONSEGUIU marcar ao menos uma vez em 75 minutos?! E os méritos dos gaúchos, inexistentes? Foram dois gols e um bom controle da partida, portanto não parece NEM UM POUCO justo decretar que o Galo venceria.

Mais do que isso: houve um pênalti DO ATLÉTICO MINEIRO nesta partida!

Pênalti claríssimo.
Pênalti claríssimo.

Assim, em vez de 3, o Galo somaria NENHUM  ponto extra, caindo de 47 para 44, e já ficando dois pontos atrás do Corinthians (46) — ou então um à frente (43), devido às considerações de Avaí/Flu.

No jogo do Atlético-PR, em que o Galo perdeu e “deveria” empatar: o pênalti, sim, EXISTIU. Mas é algo polêmico… Porém, houve um outro lance que FOI PÊNALTI claro, em Nikão.

Por que NINGUÉM FALA DESSE LANCE? Assim, o Atlético-PR merecia, sim, a vitória, e o Galo deixa de somar aquele ponto da classificação ajustada, descendo para 43 — três a menos que o Corinthians (46); ou igual, devido às considerações de Avaí/Flu…

Vale muito ver a boa análise de Sálvio Espinola — que afirma terem havido DOIS PÊNALTIS (um marcado e outro não) a favor do time paranaense.

Então, Corinthians 46 e Atlético-MG 43.

Está bom assim?

Não, não está.

Separamos aqui mais três lances.

Atlético-MG 2×1 Palmeiras: o gol que deu a vitória ao Galo nasceu de um PÊNALTI INEXISTENTE:

O Atlético-MG venceu por 2 a 1. Sem este gol, seria 1 a 1. Perderia 2 pontos.

43 – 1 = 41. Atlético-MG 41 pontos.

E quais os outros dois lances polêmicos?

Corinthians x Santos, oitava rodada.

Santos 1, Corinthians 0.

Porém, o gol a favor do Santos estava em impedimento. E houve um pênalti claro a favor do Corinthians:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=OPWpHL94Gx0&w=560&h=315]

Assim, adotando o mesmo critério da turma que torce contra, o Corinthians, que ficou com zero ponto na partida, somaria TRÊS, pois o gol do Santos foi ilegal e houve um pênalti claro a favor do Corinthians — e, como vimos, todos os pênaltis não marcados são sempre considerados gols.

Portanto, o Corinthians somaria mais 3 pontos indo a… 49! os mesmos que soma hoje, abrindo não 7 mas OITO pontos de vantagem para o Galo.

É isso?

Ah, vamos considerar que o Flu empataria e o Avaí venceria.

Corinthians 46, Atlético-MG 41.

Com a palavra Alexandre Anelka Kalil: “não, o Atlético-MG não seria líder, não tô dizendo isso… o Corinthians iria liderar, sim, mas não com 7 pontos de vantagem“.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=KapFvySg4c0&w=560&h=315]

Será que foi desse nosso cálculo, 46 a 41, que ele estava falando?…

Vale lembrar que o jogo entre as duas equipes terminou em vitória (1 a 0) para o Corinthians, e não houve qualquer reclamação por parte dos atleticanos.

Vai, Corinthians!

Marcel Pilatti

_______________________________________________________________________

Atualizações de 06 de setembro, 23ª rodada.

Uma série de erros de arbitragem aconteceram, nenhum deles a favor do Corinthians. Novamente, o Santos FC foi bastante beneficiado, e NADA de repercussão na imprensa.

No jogo do Atlético-MG contra o Vasco (vitória mineira por 2 a 1), os vascaínos reclamaram muito — Jorginho chegou a atirar o agasalho no chão — de uma falta sobre Jorge Henrique, no lance que originou o segundo gol atleticano. O atleta vascaíno afirma que os próprios atleticanos reconheceram ter sido falta.

Será?

O mais cômico, porém, é ver os atleticanos dizendo que NÃO FOI PÊNALTI de Dátolo (Confira o video no link ao lado):

"Ai meu Deus, não foi pênalti, é pra ajudar o Corinthians!"
“Ai meu Deus, não foi pênalti, é pra ajudar o Corinthians!”

É claro que eles queriam que não fosse marcado, seguindo o mesmo critério da partida contra o Grêmio…

E no jogo entre Corinthians e Palmeiras, tivemos outro lance polêmico, no terceiro gol do Palmeiras, Alecsandro teria feito falta em Love:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=Llhm0FCQinM&w=500&h=350]

Foi? Não foi? Como disse Juca Kfouri, “Imagine se fosse o contrário…

E a pontuação, Kalil?!


Comentários estão encerrados